sábado, 8 de setembro de 2012

Viagem à Grã-Bretanha (1)

Oi, gentes. 
Tô de férias, mas tentando manter contato com o mundo subdesenvolvido aí.
A vinda pra cá foi cansativa, mas tranquila. Os voos, saíram no horário certinho, sem sustos. Claro que ainda em Cumbica, a besta que vos escreve trancou a chave do carro da namorada dentro do mesmo. R$  60 de preju pela burrice aguda
Tive no check-in o inesperado encontro com o colega Rafael Martin, dos tempos da FEA. Mundo ridículo...
Sem turbulências, o Boeing 747-800 chegou a Londres 15min antes do previsto pela manhã. Pude rever Avengers (continua legal) e ver Battleship (péssimo). Apesar dos avisos, o Leal viu o péssimo Prometeus. Dormi umas 2h30 a 3h somando os pedaços. Imigração super tranquila e sem percalços.
Heathrow é monstruosamente grande. Achei muito maior que Cumbica até me dar conta que eu estava vendo um pedaço do terminal 5. Não tava com fome pois tinha jantado e tomado café no avião.
Esperamos 1h30 e partimos para Edimburgo. Também sem sustos, desembarcamos com tranquilidade depois de tomar outro café da manhã em voo. Houve alguma demora na esteira de bagagens, pois estavam acumulados 2 voos no mesmo equipamento, que ainda por cima travou algumas vezes. Mas correu tudo bem. Roby nos encontrou no meio do processo.
De taxi, chegamos ao Grandville Guest Hotel. Roby e André me sacanearam pulando no banco de trás e me deixando no da frente, onde podia ver esses doidos britânicos dirigindo pela esquerda. No hotel, houve um contratempo aqui, pois havia uma cama de casal e uma de solteiro no quarto que reservamos. Depois de alguma conversa, prometeram uma terceira cama.
Saímos para comer. Ainda no caminho, deliciei-me com uma cherry coke. O sabor do primeiro mundo... Edimburgo é um lugar lindo. Todos os prédios um ar antigo, com mais de 400 anos de aparência. E são usados para atividades comtemporâneas. Trânsito é tranquilo e os estranhos ônibus double-deck estão por aqui.
Apenas para constar, a primeira loja na qual entramos foi uma loja de jogos de tabuleiro muito bem equipada. Saímos felizes e mordendo os cotevelos de inveja.
Acabamos por almoçar em um restaurante italiano discreto e gostoso. Fui de salada siciliana, pois o cansaço podeira rejeitar algo mais pesado. Desceu bem junto com o suco de cramberry. 
Depois fomos a pé até o horto florestal, a pedido do Leal. Lá visitamos a lindas estufas, onde me esbaldei de tirar fotos até acabar a bateria da câmera. Ainda bem que tenho reserva...
Jantamos no Mum's, seguindo conselho do Lonely Planet. O prato era um Shepard's Pie, que nada mais é do que um escondidinho escocês. Mas com batata no lugar da mandioca e carne de cordeiro no lugar da carne seca. Animal mesmo foi a entrada: camembert empanado. Abusurdo.
Voltamos para o hotel para um merecido, necessário e ecologicamente correto banho. A internet no quarto só funciona com os fortes, ou seja, quem tem notebook. He-he-he. Ah, sim, a cama extra já estava aqui sem sustos. 
Aliás, estou nela.
Aliás, putaqueopariu, que canseira.

2 comentários:

  1. Bom saber que o note está ajudando. rs

    Mande notícias!

    ResponderExcluir
  2. Cherry Coke...ainda existe???
    Bom demais

    ResponderExcluir