segunda-feira, 17 de março de 2014

Que jogo !

Amigo leitor, sou tão fã de futebol americano que já arrumo maneiras alternativas de curtir o esporte. Uma delas, nem tinha como ser diferente, é o jogo de tabuleiro. Tanto que este post une ambos os tags.
Na última sexta, recebi um grande amigo, Gabriel, em casa para mostra o print pessoa de Football Strategy, jogo que me foi apresentado pelo único outro demente que une essas duas paixões: Marcelo Paschoalin.
Como o jogo era na minha casa, decidi jogar no Candlestick Park. Não, isso não tem qualquer efeito no jogo. O time da casa, San Francisco 49ers (isso foi o mais vermelho e dourado que consegui...) optou pelo playbook de jogadas terrestres. O adversário, os odiosos New York Giants, trouxeram o playbook de jogadas aéreas. Ambos, portanto, contrariam suas tradições.
Pois vamos ao jogo. 
O time da casa vence o cara-ou-coro e opta por chutar a bola no primeiro tempo.

  • 1o Quarto
O jogo começou em ritmo alucinante. Os 49ers chutaram a bola e colocaram sua defesa para trabalhar. Não permitiram nenhum first down e obrigaram um punt dos Giants. Em rápida campanha, levaram a bola em apenas duas jogadas longas para o primeiro touchdown do jogo. 7-0.
No retorno, flumble no chute. Dessas coisas que não acontece nunca. Mas isso seria uma das tônicas do jogo: as falhas dos times especiais dos 49ers. Empolgados com a campanha iniciando-se a 35 jardas do adversário, os gigantes foram implacáveis e empataram rapidamente a partida em uma campanha de apenas 4 jogadas. Com apenas 3 minutos de jogo, estava 7-7.
O ataque dos 49ers voltou a campo no mesmo ritmo de sua primeira passagem. Jogando agora por terra, foi conseguindo jardas com consistência e, pressionando a defesa de New York, chegou a um novo touchdown ainda antes da metade do 1o quarto. No entanto, o time especial errou o extra point. 13-7.
Os Giants retomam a bola e fazem uma campanha mais sofrida. A defesa do time da casa começa a funcionar melhor. Várias conversões em 3 decida são feitas. Embora melhor, a defesa não conseguiu evitar o adversário de pontuar e virar o jogo. 13-14.
Os 49ers recebem a bola e inicial sua terceira campanha ofensiva. Chegaram a conquistar dois first downs, e então tiveram uma bola interceptada.
Giants responde de modo implacável e, em jogadas rápidas e ágeis, pontuam novamente. 13-21.
  • 2o Quarto
Os 5 touchdowns do primeiro quarto, dando a impressão de um placar fora do normal, tiveram seguimento no segundo quarto. 
Agora a defesa dos Giants começa a funcionar melhor. A quarta campanha dos californianos foi detida várias vezes. Houve até uma desesperada conversão em quarta descida. Já nas proximidades de marcar novamente, houve a necessidade de um field goal, que não resolveria a diferença no placar, mas poderia ser útil. E novamente o time especial dos 49ers falham.
O Giants inicial sua 4a campanha de modo similar à terceira. Fizeram bons avanços ganhando mais de 40 jardas em 6 jogadas, mas cometeram um fumble (ah, Razzle Dazzle, como eu te odeio...) e perderam a bola com isso.
San Francisco faz uma quinta campanha feroz e converte o touchdown. O time da casa, preocupado em usar o time especial no extra point, opta pelo two-point conversion. Boa desculpa para tentar empatar o jogo, o que conseguem. Aquele extra point perdido foi compensado. 21-21.
De volta à posse de bola, os Giants se aproveitam de duas falhas de marcação para ganhar 35 jardas em duas jogadas seguidas. Pressionada, a defesa da casa falha e permite o desempate. 21-28.
No entanto, os 49ers respondem em campanha bastante similar e empatam novamente. 28-28.
A campanha seguinte dos Giants é curta como a primeira. A defesa consegue parar as jogadas e cedem apenas um first down. O punt é bloqueado e a bola é retomada quase no meio do campo. Mas empolgação da torcida dura apenas duas jogadas, pois uma interceptação devolve o jogo para o time do leste.
Mais calmos e centrados, conseguem controlar a bola e, principalmente, o tempo de jogo. Marcam novamente, retomando a liderança no placar. 35-28.
Os 49ers têm pouco tempo para responder. Conseguem boas jogadas, mas o tempo é o problema. Usam os tempos para controlar o andamento do relógio, mas ainda assim não é suficiente para ganharem o campo todo. São forçados pelo relógio a tentar outro field goal, desta vez um tanto distante. Erram.
  • 3o Quarto
O terceiro quarto foi um jogo completamente diferente do que se vira até em então. As defesas, ambas, prevaleceram totalmente. No total, cada time teve 3 posses de bola e não foi possível sequer tentar um field goal
Descrito em poucas palavras, parece uma parte tediosa do jogo. Nada mais longe disso. Foram diversas campanhas de avanços curtos sendo contidos. Ambos os times foram várias vezes forçados a jogas terceiras decidas. Chegou a haver até uma pressão contra o ataque dos Giants, que correu risco de sofrer um safety
A bola terminou com o time da casa, próxima ao meio do campo, para o quarto decisivo.
  • 4o Quarto
Os ataques voltaram a funcionar no final do jogo. 
Os 49ers iniciaram com a posse de bola e retomaram o ritmo dos avanços. Ainda que sem grandes jogadas, os first downs voltaram a se suceder até que o empate foi conseguido. 35-35.
Em um lance crítico da partida, no entanto, os 49ers conseguiram bloquear o retorno do Giants. A torcida inflamou o time (não, não tem esse efeito no jogo) que soube controlar e gastar o tempo. Depois de algumas jogadas o placar era novamente do time da casa, o que não acontecia desde o meio do primeiro quarto. 42-35.
Os 49ers retornam a bola para os Giants que não conseguem avançar. A defesa do time da casa parece que vai garantir a vitória e força um punt. Só é preciso agora gastar o tempo. 
O técnico dos Giants usa com inteligência os pedidos de tempo para parar o relógio. O two-minute warnning também beneficia os visitantes e os 49ers são forçados a chutar faltando 1m45s. E pela terceira vez, erram o field goal
Em desespero, os Giants tentam a chamada hail mary. E conseguem! Avançam mais de 60 jardas em uma só jogada. O tempo está acabando, mas passes do tipo out-of-bounds economizam segundos preciosos. E a apenas 15s do final, conseguem o touchdown
As opções são chutar o extra point e empatar o jogo ou tentar um two-point conversion, que certamente determinaria um vencedor. Eles optam por arriscar e o incrível acontece: um erro de posicionamento acaba gerando uma falta: illegal formation
Fim de jogo: 42-41.

Um comentário:

  1. Que jogo! Que jogo! Pra quem entende um pouco de NFL é prato cheio!

    ResponderExcluir