terça-feira, 29 de outubro de 2013

USA 2: Dia 9 - Mais baixos do que altos

Meu segundo domingo de férias não foi, mesmo, dos melhores. Acordei cansado, o que é ruim para quem vai dirigir bastante. Pulei o café e pé na estrada, depois de fazer um curioso checkout pela internet.
Fui primeiro para a Hoover Dam. É aquela represa grande que aparece em todos os filmes americanos. Foi uma tremenda obra de engenharia feita entre 1931 e 1935, tem uns 220m de altura e 100 de largura. Imponente, forte, firme, como tudo que se fazia na época. Ainda tirei umas fotos da ponte sobre o rio Colorado, linda e complicadíssima de fazer também. Que se registre que mudei de estado de novo, pois o outro lado da barragem é no Arizona.
Pé na estrada rumo a Califórnia.
E a primeira coisa que vi na Califórnia foi um congestionamento. Gente, o problema não é Los Angeles, é o estado inteiro. Em momento algum na viagem peguei estrada realmente livre. E comecei a ver acidentes, embora nada sério. E daí, pude comprar o motorista sulista, o redneck, lá do sul do leste com o cara mais descolado, mais estudado aqui no oeste. Pois os caras daqui (oeste) são bem piores: não dão passagem, atravancam a faixa da esquerda, agem como bundões donos da estrada. Lembra muito o estilo do brasileiro ao volante, com o lado negativo deles ainda não terem criado um sinal de “pedir passagem” como nós usamos aí.
Almocei uma micro pizza hut com red bull zero (tem apenas 10 calorias!), pois estava quase dormindo ao volante. A porcaria do GPS continuava teimoso, e não achou nem o hotel pelo endereço ou nome, nem o parque que eu ia, endereço ou nome. Felizmente, eu aprendi a navegar pelo mapa e escolher o destino, literalmente, a dedo. 
A paisagem é um saco: MMPD (MMFD, em inglês). 
E quando a coisa estava ruim, a estrada já em Los Angeles parou completamente. Todas as 5 pistas dos dois lados (não vinha ninguém de lá). Notei os carros de resgate (uns 5), reboques (3) e polícia (mais de 10) passando para atender a ocorrência. Parecia que caiu uma bomba no lugar pela equipe deslocada, mas quando finalmente tudo voltou a andar, passei pelo acidente e era... um motoqueiro caído e um carro envolvido. #sampafeelings. E eles fazem um carnaval danado por causa de uma coisa tão simples.
Com isso, decidi mudar a rota e, em vez de deixar tudo no hotel, fui direto ao Six Flags, onde cheguei às 17h45.
Uma porcaria de parque. Só na primeira montanha russa foram 80min de espera. Depois uma das maiores atrações, a X2, fechada. Idem para a Baja. A Chupacabra (se eles soubessem...) precisava de um tag especial para entrar, e ninguém explicou o que era ou como conseguir o tal tag. Talvez eu estivesse disposto a pagar, oras... O parque vive uma promoção chamada “Frighting Nights”, igual à nossa “Noites do Terror” (na verdade, ao contrário). Com isso, a iluminação estava uma porcaria e a sinalização fraca ficava invisível. Não consegui um mapa com ninguém, mas também não serviria para nada. Muita gente furando fila (não estou falando dos passes especiais, é safadeza mesmo).
As atrações que fui, admito, era boas. Goliath, Green Lantern, Batman, Superman (um tanto overrated, mas boa) são bastante interessantes. A melhor eu deixei para o final, a Full Thruttle, que dispara o carro com ímãs e faz um percurso com muitos loops e voltas. Na Superman, lembrei-me novamente porque não se devem encarar meninas com (provavelmente) menos da metade da minha idade: tinha uma procurando confusão, por assim dizer.
Conclusão: não pretendo mais ir a parques Six Flags e não recomendo a ninguém. Cotação Asimovia: 2 cocares.
De lá, era 100km até meu hotel. Isso mesmo que você leu, amigo leitor: 100 km. É como se eu tivesse ido de casa até depois do Hopi Hari. Pelo menos tudo aqui tem estradas bem livres e corri sem problemas. Jantei uma variante do Quarteirão no McDonald’s (que eu ainda não tinha ido) e cheguei bem ao hotel. Checkin é chato nessas horas, mas correu sem dificuldades.Vale lembrar que, no final, o maledeto Tom Tom sabia da tal W Orangewood Ave: não plotou o mapa de babaca. Mas agora é tarde, pois setei o local aqui como home: toma essa !

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Mas como eu passei mal depois de ir nesse tal Superman... Meia hora largado no chão do parque, como se fosse um saco de batatas! :-P

    ResponderExcluir